Eu sempre gostei do pôr do sol primaveril.

Talvez porque a fragrância das flores pareça grudar em meus pulmões e trazer-me um certo ar tranquilo, e tranquilidade seja tudo o que minha cabeça atordoada mais cobiça. Talvez porque quando as flores desabrocham e seus botões se transformam, eu sinta em mim uma mudança sutil, mas não pouco importante. Talvez porque eu ainda guarde a lembrança de você chegando de mansinho, tão tênue, tão ligeiro, pousando um buquê de lírios sobre meu protótipo de mesinha de cabeceira e roçando seus dedos nas minhas têmporas com um carinho inumano, quase infantil. Talvez porque a coroa de princesa que eu sempre quis usar na cabeça se assemelhe - delgadamente, é claro - à corola das flores que na primavera se tornam rainhas. Talvez porque eu tenha vivido uma história bonita de se ler (quem sabe num passado esquecido pela força do tempo ou deixado para trás para ser esquecido propositalmente) e nela eu tenha ganhado uma rosa branca, conservado-a com todo amor e carinho numa bisnaga descendente do tempo da vovó e assistido, cabisbaixa, ao seu desfalecimento natural. Talvez porque o amarelo das margaridas combine com o sol, ao mesmo tempo que as rosas bege fazem um contraste singular, cheio de si. Talvez porque eu veja nas flores uma beleza natural, essencial, às vezes imperfeita, e admire cada uma das pétalas; as tortas, as derrubadas pelo vento, as arrancadas pelas meninas com coração partido e as deixadas como prêmio de um bem-me-quer inocente. Talvez porque eu seja feita de metonímias e falar de flores supra um vazio pesado quase depressivo que carrego sobre as costas. Talvez poque o sol pareça mais ameno e deleitoso nessa estação, e seus raios luminosos sejam, compreensivelmente, mais gostosos de se embolsar - não que à alguém pertença o direito de guardá-los só para si. Talvez porque eu e as flores tenhamos muitas coisas em comum; não usamos maquiagem, gostamos quando o vento balançam nossos cabelos (ou pétalas, ou pecíolos, depende), somos anti-charlatões e temos uma beleza interior que só poeta dedicado consegue auferir, e saber que não sou a única espécime diferente no mundo traz-me certo conforto, até mesmo um vigor genuíno. Talvez porque a solidão dilacerante tenha-me feito agarrar qualquer vestígio de compaixão, beleza, cumplicidade, e nas flores que nascem e morrem com a primavera eu veja isso. Talvez porque o pôr do sol signifique que todas as coisas, por mais esplêndidas e nobres que sejam, se esvaem e cedem seu lugar de rei para a quem o direito trajar. Talvez porque haja em mim, escondido em algum beco sem saída, o desejo de ser admirada, pintada, filosofada, transformada em obra de arte da mesma forma que faço com as tão queridas flores. Talvez porque, assim como elas, eu almeje alcançar o ápice das árvores e depois cair por terra, orgulhosa que só, satisfeita e pronta para transformar-me em uma simplória marca na terra…

Ainda não cedi ao talvez, tampouco vejo sinal de certeza. Mas uma coisa afirmo: eu sempre gostei e continuo gostando do pôr do sol primaveril.

(verbalizada)

6:43

150 notes
tagged as: #verbalizada #longo

  1. doce-algodao reblogged this from verbalizada and added:
    Eu sempre gostei do pôr do sol primaveril. Talvez porque a fragrância das flores pareça grudar em meus pulmões e...
  2. dudecmon reblogged this from verbalizada and added:
    Eu sempre gostei do pôr do sol primaveril.
  3. onlywhileibreath reblogged this from desfolhou-se
  4. desfolhou-se reblogged this from y-o-u-a-h-o-l-i-c and added:
    Eu sempre gostei do pôr do sol primaveril. Talvez porque a fragrância das flores pareça grudar em meus pulmões e...
  5. y-o-u-a-h-o-l-i-c reblogged this from albumsecreto
  6. livepluslove reblogged this from silenciar-me and added:
    Eu sempre gostei do pôr do sol primaveril. Talvez porque a fragrância das flores pareçam grudar em meus pulmões e...
  7. nacasaenocoracao reblogged this from a-m-e-n-i-d-a-d-e-s
  8. enlouqueci reblogged this from verbalizada and added:
    Eu sempre gostei do pôr do sol primaveril. Talvez porque a fragrância das flores pareça grudar em meus pulmões e...
  9. poesiasuicida reblogged this from verbalizada
  10. chiaro-di-luna reblogged this from nuncamaisamor
  11. fuhreer reblogged this from vexillographyca
  12. suscitare reblogged this from verbalizada
  13. voyageurame reblogged this from bafejos
  14. re-to-ri-ca reblogged this from verbalizada
  15. casaco78 reblogged this from verbalizada
  16. sudd-enly reblogged this from bafejos
  17. colecionistadecanciones reblogged this from verbalizada
  18. selfloveaboveall reblogged this from jardimsemflor
  19. jardimsemflor reblogged this from entrehorizontes and added:
    Eu sempre gostei do pôr do sol primaveril. Talvez porque a fragrância das flores pareçam grudar em meus pulmões e...
  20. dissolvererecompoor reblogged this from verbalizada
  21. nuncamaisamor reblogged this from vexillographyca and added:
    Eu sempre gostei do pôr do sol primaveril. (verbalizada)
  22. ojerizar reblogged this from vexillographyca
  23. montezionn reblogged this from entrehorizontes
  24. feeling-life reblogged this from escassez
  25. verbalizada posted this


Source: verbalizada